Argentina volta a suspender voos por cinzas de vulcão chileno

Buenos Aires tem decolagens canceladas; aeroportos de Bariloche e Neuquén, no sul do país, voltarão a operar depois de 1º de julho

iG São Paulo |

Os voos do aeroporto Jorge Newbery (Aeroparque), em Buenos Aires, foram suspensos a partir da tarde desta sexta-feira devido às cinzas do vulcão chileno Puyehue.

De acordo com um funcionário do aeroporto, a companhia Sol cancelou seus voos e a Aerolíneas Argentinas, que havia adiado várias partidas, também decidiu suspender suas decolagens.

No Aeroporto Internacional de Ezeiza, três voos previstos para a tarde desta sexta-feira foram reprogramados para sábado. Um dos voos era da companhia Qatar Airlines e ia São Paulo, enquanto outro da United Airlines seguia para San Francisco, e um da American Airlines, para Miami.

No sul da Argentina, o aeroporto de Bariloche, situado a 100 km do vulcão Puyehue, permanecerá fechado até o dia 1º de julho, do mesmo modo que o terminal aéreo de Neuquén, também na Patagônia argentina.

Transtornos

Desde a erupção do Puyehuye, em 4 de junho passado, as cinzas vulcânicas já causaram severos transtornos no tráfego aéreo da Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Chile, Austrália e Nova Zelândia.

No mês passado, o mais ativo vulcão da Islândia, o Grimsvotn , lançou uma grossa nuvem de fumaça e cinzas, prejudicando voos no norte da Europa. A erupção de outro vulcão da Islândia, o Eyjafjallajokull , em abril de 2010, levou ao cancelamento de 100 mil viagens de companhias aéreas, o que afetou cerca de 10 milhões de pessoas, a um custo de US$ 1,7 bilhão.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: chilevulcãoargentinabarilochevulcão puyehue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG