Caso da Mala - Mundo - iG" /

Argentina rejeita comentar condenação de empresário do Caso da Mala

Buenos Aires, 3 nov (EFE) - O Governo da Argentina disse hoje que não opinará sobre a condenação, nos Estados Unidos, do empresário Franklin Durán por conspirar e atuar ilegalmente em território americano como um agente venezuelano no chamado Caso da Mala. Não tenho nada a opinar, porque é um tema de um país soberano, uma decisão soberana. Não tenho nada a dizer, disse o ministro da Justiça argentino, Aníbal Fernández, após ser divulgada a decisão do tribunal de Miami que declarou culpado o empresário venezuelano.

EFE |

O veredicto por unanimidade foi alcançado na segunda semana de deliberações em um tribunal de Miami, no qual Durán foi julgado durante oito semanas.

A Promotoria Federal tinha acusado o venezuelano de seguir ordens do Governo do presidente Hugo Chávez, junto com outros três cidadãos venezuelanos e um uruguaio, para ocultar a origem e destino de uma mala com US$ 800 mil atribuída ao empresário Guido Alejandro Antonini Wilson em um aeroporto da Argentina em 2007.

O dinheiro supostamente provinha da estatal Petróleos de Venezuela S/A (PDVSA) e era destinado à campanha eleitoral da atual presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, segundo várias testemunhas da Promotoria.

"O que acontece em seus julgamentos, com suas situações particulares, com seu marco jurisdicional, com suas leis soberanas, é um problema deles (dos Estados Unidos). Se absolvem ou condenam (Durán), é uma questão deles, não tenho opinião a respeito", disse Aníbal Fernández em declarações ao canal "C5N", de Buenos Aires.

A Argentina tinha reivindicado aos Estados Unidos a extradição de Antonini Wilson, que tem um processo contra si tramitando em Buenos Aires, mas é testemunha protegida nos EUA. EFE nk/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG