A Argentina reforçou nesta quarta-feira as medidas de combate à gripe suína, diante do crescente temor de contágio em um país que já registrou oficialmente 26 mortos e 1.587 casos confirmados.

Os governos da capital argentina e da província de Buenos Aires, os maiores distritos do país com quase 18 milhões de habitantes, onde foram registrados a maioria dos casos de gripe suína, decretaram o estado de emergência sanitária.

De acordo com os últimos dados oficiais, há 1.587 infectados em todo país. Porém, entidades médicas afirmam que o número de pessoas que contraíram o vírus A (H1N1) se eleva na verdade a dezenas de milhares.

A cidade de Pergamino, na província de Buenos Aires (centro-leste), um poderoso pólo agro-industrial de 100.000 habitantes, decretou nesta quarta-feira o fechamento das repartições públicas, escolas, cinemas, teatros e clubes por 72 horas.

Outros municípios da província como General Villegas, Junin e 9 de Julho fizeram o mesmo.

No âmbito nacional, 17 dos 24 distritos da Argentina adiantaram para a próxima segunda-feira as férias de inverno, e as estenderam até o fim de julho, uma medida que afeta quase dez milhões de estudantes.

lt/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.