Argentina reabre investigação sobre ataque a judeus que matou 85

Buenos Aires, 27 mai (EFE).- A Suprema Corte da Argentina ordenou hoje a reabertura de parte da investigação sobre o atentado que, em 1994, destruiu a sede de um estabelecimento judeu de Buenos Aires e matou 85 pessoas, informaram fontes judiciais.

EFE |

A decisão do principal tribunal do país, adotada por maioria, permitirá que se continue com as investigações sobre a "conexão local" do ataque perpetrado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia).

A Corte convalidou parte da investigação que o ex-juiz Juan José Galeano, que dirigiu dez anos os trabalhos sobre a "conexão local" do atentado, até ser destituído por "mau desempenho de suas funções", em 2005.

Nesse sentido, a Suprema Corte ordenou o "maior esforço" para "chegar à verdade material" do ataque terrorista.

O atentado contra a entidade foi o segundo dos ataques terroristas perpetrados contra judeus na Argentina, onde em 1992 explodiu uma bomba diante da Embaixada de Israel em Buenos Aires, causando a morte de 29 pessoas. EFE cw/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG