Argentina qualifica de afronta designação de Vahidi no Irã

O governo argentino considerou nesta sexta-feira uma afronta à justiça a designação de Ahmad Vahidi como ministro da Defesa do Irã, apesar da ordem de prisão internacional contra ele por seu suposto envolvimento no ataque a uma associação israelita de Buenos Aires.

AFP |

"A nomeação de Ahmad Vahidi ao cargo de ministro da Defesa do Irã constitui uma afronta à justiça argentina e às vítimas do brutal atentando terrorista contra a Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA)", afirma um comunicado da chancelaria.

Segundo a nota, a decisão "foi recebida com grave preocupação e merece a mais enérgica condenação do governo argentino".

Buenos Aires voltou a exigir do Irã que "coopere de maneira plena com a justiça argentina para que as pessoas que foram acusadas de participar do atentado sejam julgadas pelos tribunais competentes".

A explosão do prédio da AMIA, em 1994, deixou 85 mortos e 300 feridos, e a Argentina acusa o ex-presidente iraniano Ali Akbar Rafsanjani, o ex-ministro da Segurança Ali Fallahijan, o ex-chanceler Ali Velayati, o ex-chefe da Guarda dos Pasdarnas Moshen Rezai, e Vahidi pelo ataque.

A chancelaria destaca que Vahidi, procurado pela Interpol há mais de dois anos a pedido da justiça argentina, teve uma "participação chave no planejamento do atentado".

afp/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG