não a deixe sozinha em Doha - Mundo - iG" /

Argentina pede que Brasil não a deixe sozinha em Doha

Como sócio da Argentina, o Brasil não vai querer que o país fique sozinho nas negociações da Rodada de Doha de liberalização de comércio, afirmou, nesta quarta-feira, à BBC Brasil, o secretário de assuntos econômicos internacionais do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Alfredo Chiaradia. Ele é o principal negociador da Argentina no Mercosul e nas discussões no âmbito da Organização Mundial de Comércio (OMC).

BBC Brasil |

Com as declarações, o embaixador sinalizou esperar que o Brasil prefira fortalecer o bloco a optar por Doha.

Brasil e Argentina são os dois principais sócios do Mercosul, que também reúne Paraguai e Uruguai. Mas os dois países possuem profundas diferenças em relação às negociações da Rodada Doha.

Enquanto o governo brasileiro defende um entendimento ainda neste mês, a Argentina interpreta que as discussões estão desequilibradas, com os países ricos pedindo maior abertura para produtos industriais aos países em desenvolvimento, mas sem oferecer o equivalente na área agrícola.

Segundo Chiaradia, o fato de um dos sócios do Mercosul querer avançar unilateralmente nas negociações externas, coloca em risco alguns pilares do bloco, como a Tarifa Externa Comum (TEC) para os produtos importados de outros países.

O embaixador, no entanto, diz não acreditar que o Brasil coloque em risco a estabilidade do bloco com um eventual acordo unilateral de liberalização do comércio.

"Por que chegar a isso? A situação vai ser resolvida antes. Acho que o Brasil não vai querer que isso aconteça. E estou seguro que o Brasil não vai querer que a Argentina fique sozinha (nas discussões na OMC)".

Voz única

Segundo o embaixador, um dos desafios do Mercosul hoje é ter "uma única voz" para o mercado externo.

"Esse é um problema: vamos negociar com mundo e não temos uma posição unificada".

Chiaradia lembrou que os acordos na OMC, como a Rodada Doha, funcionam por consenso e, por isso, espera que não haverá entendimento ainda este ano.

Segundo ele, Índia, África do Sul e Venezuela não aceitam fechar acordo nas atuais condições das negociações. Ele questionou a possibilidade de que a Rodada seja fechada sem este consenso.

"Não estou seguro de que convenha à estrutura da OMC ser vista pisando em algum país". E acrescentou: "Se a OMC decidir funcionar como no passado, quando se forçava (um país) a aceitar o que não estava preparado para fazer, então, aí poderia haver um problema no interior do Mercosul".

No documento que a Argentina entregou semana passada à OMC, o governo destaca que o país espera que se permita a "preservação de níveis moderados" de barreiras tarifárias para os países em desenvolvimento, com objetivo de "aumentar o emprego" e "garantir estabilidade social".

O documento afirma ainda que, entre 2002 e 2007, graças ao crescimento econômico argentino, as importações de bens industriais subiram quase 40%. Já, na mão inversa, diz o documento, os países ricos aplicam subsídios que dificultam o comércio agrícola dos países em desenvolvimento, como a Argentina.

Compensações

Chiaradia afirmou ainda que o Brasil não ofereceu compensações à Argentina, caso se chegue a um acordo este ano.

"Não acho que se tratem de compensações do Brasil para a Argentina. As únicas conversas que tivemos sobre isso indicavam a sugestão do Brasil de que a Argentina tivesse mais tempo para instrumentalizar os cortes (tarifários do setor industrial). A resposta argentina foi que não era questão de mais tempo e que nossa proposta está sustentada nas regras das negociações. Uma negociação tem regras e as regras têm que ser cumpridas".

Recentemente uma fonte do Palácio do Planalto disse à BBC Brasil que o Brasil daria "compensações" à Argentina, já que Doha "interessa" mais ao país.

Nesta quarta-feira, um negociador brasileiro explicou que essa "compensação" poderia surgir a partir da abertura de mercados no Brasil para produtos argentinos - o que, no entanto, não parece estar nos planos argentinos.

Leia mais sobre Rodada Doha

    Leia tudo sobre: rodada de doha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG