Milhares de pessoas participaram de protestos isolados a favor e contra o setor ruralista da Argentina neste domingo, dia em que o país comemora o Dia da Revolução, uma das datas mais importantes para os argentinos. Em Rosário, milhares de simpatizantes dos produtores rurais fizeram o maior protesto desde o início da disputa, em março.

Já a presidente Cristina Fernández de Kirchner discursou para outros milhares na cidade de Salta, no norte do país.

Desde o início do ano, a disputa entre governo e produtores rurais levou ao fechamento de estradas, duas greves e a uma crise de abastecimento no país.

Os ruralistas argentinos, beneficiados pela alta no preço das commodities no mercado internacional, são contra o aumento de impostos e limitações sobre exportações agropecuárias, principalmente de soja, propostos pela presidente Kirchner.

No comício deste domingo, a presidente Kirchner afirmou que as políticas dela visam à redistribuição da riqueza na Argentina e que os interesses do país têm que vir à frente dos de indivíduos ou grupos.

Na manifestação na cidade de Rosário, ruralistas reuniram milhares de pessoas e ameaçaram voltar a paralisar o abastecimento na Argentina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.