Argentina e Uruguai retomam operações em aeroportos após cinzas de vulcão

Nuvem do vulcão chileno causou transtornos no tráfego aéreo também do Brasil, do Chile e da Nova Zelândia

iG São Paulo |

Depois de ter complicações no tráfego aéreo por conta das cinzas do vulcão chileno Puyehue, a Argentina e o Uruguai retomaram as operações de pouso e decolagem nos aeroportos de Aeroparque e Ezeiza, em Buenos Aires, e em Carrasco, em Montevidéu.

A primeira companhia a retomar suas operações em Buenos Aires, de acordo com o jornal El Clarín foi a chilena LAN, que registrou atraso em apenas dois dos seis voos previstos para o início deste sábado. As partidas que apresentaram atraso acabaram chegando aos destinos Mendoza e Córdoba antes da hora do almoço.

A companhia Aerolíneas Argentinas informou que seus voos com destino a Madri, Roma e Barcelona, cancelados na noite de sexta-feira, partirão na tarde deste sábado. Passageiros com destino a Miami serão remanejados em outros voos. A companhia informou também que os voos internacionais previstos para a noite deste sábado saíram dentro do horário previsto.

Os voos da Aerolíneas e da subsidiária Austral para as cidades de El Calafate, Ushuaia, Río Gallegos e Río Grande, na região de Bariloche, serão retomados amanhã, segundo informou a companhia. O sul do país ainda continua sendo atingido pelas cinzas do vulcão.

Por volta das 16h deste sábado, o Aeroporto de Carrasco, na capital uruguaia, voltou a operar com normalidade. A decisão de atrasar e cancelar voos, no entanto, continua a cargo das companhias aéreas. De acordo com o jornal uruguaio El Mundo, foram cancelados ao todo 21 voos, entre chegadas e partidas, neste sábado.

No Chile, a empresa aérea LAN cancelou voos para o sul do país. "A LAN teve de cancelar seus voos de hoje (sábado) nas cidades de Concepción e Temuco e os mesmos deverão ser retomados na manhã de domingo se as condições climáticas forem favoráveis", disse a companhia em comunicado.

Brasil

No Brasil , de acordo com a Infraero, nove partidas internacionais haviam sido canceladas até as 12 horas deste sábado, sendo quatro em Guarulhos (SP), três no Galeão (RJ), uma em Porto Alegre (RS) e uma em Campinas (SP). Guarulhos registrou dois cancelamentos de voos da Aerolíneas Argentinas com destino a Buenos Aires, além de um da companhia TAM com destino a Montevidéu, previsto para às 9h25. A TAM também teve cancelados dois voos de Montevidéu com destino a São Paulo, às 6h.

A companhia informou que passageiros das partidas canceladas serão reacomodados em outros voos, sem cobrança de tarifas adicionais. A empresa disponibilizou o telefone 0800 123 200 para clientes interessados em remarcar ou saber a situação dos voos.

De acordo com a assessoria de imprensa da GOL, as cinzas do vulcão não chegaram a alterar operações da empresa para o Uruguai e a Argentina.

Oceania

Neste sábado também várias companhias aéreas que operam na Oceania anunciaram neste sábado o cancelamento de novos voos na Nova Zelândia durante este fim de semana por causa da nuvem de cinzas do vulcão chileno Puyehue. A Qantas, a maior companhia aérea australiana, explicou através de um comunicado que levou em conta a segurança dos passageiros antes de tomar sua decisão.

Segundo comunicado no site da companhia, todos os voos com origem ou destino à Nova Zelândia no sábado e no domingo estão cancelados. Já os voos com origem ou destino a Johanesburgo, na África do Sul, serão operados em Perth.

Já a companhia aérea Jetstar, subsidiária da Qantas, prometeu entrar em contato com todos os clientes afetados para oferecer a eles outra data de viagem ou a devolução do dinheiro. Apenas neste sábado, 17 voos internacionais e 32 nacionais foram cancelados, segundo a Radio New Zealand.

A Virgin Australia, por sua vez, chegou a cancelar 27 viagens entre Austrália e Nova Zelândia maracadas para domingo e segunda-feira. A chilena LAN também teve problemas com voos com destino a Sydney, que fazem escala em Auckland. "Na quinta-feira, foi realizado um novo voo especial de Santiago a Sydney via Papeete e estão planejados outros dois, um no sábado e outro na terça-feira, para depois retomar as operações normais do voo Santiago-Auckland-Sydney a partir de 1º de julho, se as condições meteorológicas permitirem", anunciou a empresa.

Na semana passada, foram cancelados pelo mesmo motivo cerca de 700 voos na Austrália e na Nova Zelândia. Desde a erupção do Puyehuye, em 4 de junho passado, as cinzas vulcânicas já causaram severos transtornos no tráfego aéreo da Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Chile, Austrália e Nova Zelândia.

No mês passado, o mais ativo vulcão da Islândia, o Grimsvotn , lançou uma grossa nuvem de fumaça e cinzas, prejudicando voos no norte da Europa. A erupção de outro vulcão da Islândia, o Eyjafjallajokull , em abril de 2010, levou ao cancelamento de 100 mil viagens de companhias aéreas, o que afetou cerca de 10 milhões de pessoas, a um custo de US$ 1,7 bilhão.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: chilevulcãoargentinabarilochevulcão puyehue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG