Argentina e R.Unido em nova polêmica envolvendo as Malvinas

Buenos Aires, 2 fev (EFE).- A Chancelaria argentina citou hoje à embaixadora britânica no país, Shan Morgan, por seu enérgico protesto pelo iminente início das atividades de perfuração de petróleo ao norte das Ilhas Malvinas.

EFE |

O Governo argentino "rejeita a pretensão do Reino Unido de autorizar a realização de operações de prospecção e exploração de hidrocarbonetos na área da plataforma continental argentina, submetida à ocupação ilegítima britânica", assinala em carta.

Para o chanceler argentino, Jorge Taiana, o que o Reino Unido está fazendo "é ilegal. É uma violação a nossa soberania".

"A posição argentina é clara. A legislação é firme e daremos todos os passos necessários para defender e preservar nossos direitos", afirmou.

A Chancelaria assinala na carta que "esta nova ação unilateral britânica" se soma às que em 2007 encerraram a declaração conjunta argentino-britânica de 1995 de cooperação sobre as atividades no litoral do Atlântico, em referência à prospecção e exploração de hidrocarbonetos.

A nota foi entregue hoje ao encarregado de negócios da embaixada britânica à revelia da embaixadora, que está fora do país.

Nela estimula aos Governos da Argentina e do Reino Unido a "retomarem as negociações para solucionar a disputa".

O conflito pela soberania das Malvinas provocou em 1982 uma guerra entre os dois países que acabou com a derrota argentina e um saldo de 649 argentinos mortos. EFE ea/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG