Argentina e Chile buscam avanços em integração bilateral

Buenos Aires, 6 ago (EFE).- Argentina e Chile deram hoje um forte impulso à relação bilateral em diversas áreas e avançaram rumo à redação definitiva de um novo tratado de integração de superação, o qual deve ser assinado antes do final do ano.

EFE |

Dezenove ministros chilenos e 16 da Argentina assinaram seis acordos de cooperação e uma extensa declaração final que reúne os avanços concretizados na segunda reunião de gabinetes do Governo de ambos os países, realizada hoje em Buenos Aires.

"Alcançamos acordos concretos, mas destaco também o clima de trabalho de harmonia, fraternidade e de convicção profunda de que temos um destino comum para conseguir o bem-estar de nossos povos", disse o ministro das Relações Exteriores argentino, Jorge Taiana, ao encerrar o encontro.

Um dos pontos centrais da reunião ministerial foi avançar na negociação de um tratado de integração complementar ao Tratado de Paz e Amizade de 1984, que determinou a fixação das fronteiras entre as duas nações do Canal de Beagle até o Cabo Horn.

Essa questão levou Argentina e Chile à beira de uma guerra em dezembro de 1978, mas as desavenças foram superadas graças à mediação do Vaticano.

Segundo fontes de ambos os Governos, o novo tratado buscará determinar as pautas para os inúmeros capítulos da integração bilateral.

"Já se passaram 25 anos do tratado de paz, que buscava solucionar um conflito e gerar confiança. Desde então, a relação avançou contundentemente, e se faz necessário um tratado que esteja mais de acordo com a realidade em que vivemos e com os tratados de integração modernos", acrescentaram as mesmas fontes.

Em declarações à Agência Efe, o ministro das Relações Exteriores chileno, Mariano Fernández, o objetivo é assinar o tratado antes de 2010 e, para isso, o Governo do Chile convidou a presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, a visitar Santiago em outubro.

Embora a visita ainda não tenha sido confirmada por Buenos Aires, ambos os Governos planejam que o tratado seja firmado antes de 28 de novembro, quando Cristina e a presidente chilena, Michelle Bachelet, serão recebidas em audiência conjunta e privada pelo papa Bento XVI no Vaticano.

A reunião ministerial de hoje também serviu para a discussão de temas de interconexão física, comércio e cooperação em todas as áreas, entre outros assuntos tratados por 18 grupos de trabalho.

Entre os acordos concretos, se destaca o que prevê a construção de um túnel sob a cordilheira dos Andes, que conectará a província argentina de San Juan com a região chilena de Coquimbo.

Outros projetos de infraestrutura analisados foram o do Trem Transandino Central, que será financiado com fundos privados, e a pavimentação da passagem de Pehuenche, que deve estar concluída até 2011.

Argentina e Chile também fecharam acordos para facilitar os trâmites fronteiriços para que "em breve se alcance o livre trânsito de pessoas" entre os dois países, segundo anunciou o ministro do Interior chileno, Edmundo Pérez Yoma.

Além disso, os dois países se comprometeram a criar um sistema de controle integrado nas passagens fronteiriças e a agilizar o funcionamento da passagem de Cristo Redentor, a de maior movimento.

Em matéria de defesa, Argentina e Chile se comprometeram a avançar na constituição de uma força de paz conjunta, que esperam pôr à disposição das Nações Unidas em 2010.

"Ter a possibilidade de revisar a rica e ampla agenda bilateral é um sinal de nosso nível de entendimento e integração. Temos 30 anos de cooperação, em um caminho irreversível rumo à plena integração.

Podemos dizer com orgulho que Argentina e Chile são nações amigas", destacou Pérez Yoma. EFE nk/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG