Uma argentina de 35 anos residente na província de Mendoza (oeste) afirmou ter sido estuprada por seu pai durante 20 anos e ter tido sete filhos com ele, informaram neste sábado fontes judiciais.

O caso remete ao do austríaco Josef Fritzl, conhecido como o 'monstro de Amstetten', que manteve a própria filha em cativeiro por 24 anos e a estuprou repetidas vezes, tendo sete filhos com ela. Fritzl foi condenado à prisão perpétua em março passado.

A mulher, cuja identidade não foi revelada, foi sexta-feira à justiça de Mendoza, que determinou a detenção do suspeito.

"O réu não quis dar declarações, e se encontra neste momento no Centro Transitório de Detenção. Ele será enviado segunda-feira à penitenciária da província", afirmou o promotor Marcelo Gutierrez del Bairro ao jornal Clarin.

A justiça ordenou a realização de testes de DNA e de perícias psicológicas na mulher, no seu pai e nos sete filhos para comprovar a veracidade da denúncia.

Os sete filhos têm entre dois e 19 anos de idade.

Segundo as fontes, a mulher teria decidido denunciar seu pai por temer que ele abusasse também de uma de suas netas.

lt/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.