Argentina diz que mortos por gripe no país chegam a 70

Buenos Aires, 8 jul (EFE).- O ministro da Saúde da Argentina, Juan Manzur, confirmou hoje que, até o momento, 70 pessoas morreram de gripe suína no país.

EFE |

Ao chegar ao Parlamento para informar os legisladores sobre a situação da saúde no país, Manzur evitou comentar o número extra-oficial de mortos pela doença, que chegaria a 79.

"Até ontem à tarde, os pacientes que morreram e que foram diagnosticados com o vírus da gripe A(H1N1) são 70. Há pacientes que morreram antes. Estamos esperando o diagnóstico destes", afirmou o ministro.

Devido à doença, a capital do país e a maioria das 23 províncias argentinas, inclusive a de Buenos Aires, decretaram estado de emergência.

Também por causa da nova gripe, as aulas foram suspensas por um mês, os teatros fecharam por dez dias e as atividades públicas foram probibidas em todo o território nacional.

Segundo cálculos da empresa de consultoria econômica Orlando Ferreres e Associados, os prejuízos causados pela gripe suína em 15 dias totalizaram 3 bilhões de pesos (US$ 789,4 milhões).

Hoje, o Governo decretou "feriado sanitário" para os servidores públicos federais na sexta-feira. EFE cw/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG