Argentina diz que Colômbia foi pouco flexível em reunião da Unasul

Buenos Aires, 16 set (EFE).- Para o Governo argentino, a Colômbia foi muito pouco flexível durante a reunião de ministros das Relações Exteriores e da Defesa realizada pela União de Nações Sul-americanas (Unasul) em Quito, onde foi discutido o acordo militar entre Bogotá e Washington, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

"Todos oferecemos flexibilidade, todos contribuímos. Mas, na verdade, houve pouquíssima flexibilidade da Colômbia", disse em nota o chanceler argentino, Jorge Taiana, que participou do encontro de ontem.

Taiana afirmou que os participantes fizeram um "grande esforço e trabalharam muito para a construção de um consenso" e de um ambiente de "confiança" durante a reunião, na qual os países voltaram a manifestar preocupações pelo acordo entre Bogotá e Washington para que tropas americanas usem bases militares colombianas.

"A posição da Argentina é clara: nós achamos que o melhor é que sul-americanos estejam na América do Sul, que criemos entre nós os mecanismos de defesa e construção de uma doutrina comum, que é o objetivo de médio prazo do Conselho de Defesa Sul-americano", acrescentou.

O chanceler argentino destacou que a "presença de forças militares de fora da região, como se viu, causa tensões entre os países locais, e muitas vezes não encontra explicação" dentro do panorama estratégico do bloco.

Durante a reunião na capital equatoriana, foram estabelecidos acordos para o início de um processo de elaboração de uma estratégia comum em matéria de defesa e segurança. Porém, o pacto militar entre Colômbia e Estados Unidos freou o avanço destas medidas. EFE ms/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG