Argentina determina prisão perpétua para general do Plano Condor

Eduardo Cabanillas foi condenado como principal responsável por campo de concentração para vítimas da repressão da ditadura

iG São Paulo |

O general reformado argentino Eduardo Cabanillas foi condenado nesta quinta-feira pela Justiça argentina à prisão perpétua como principal responsável pelo campo de concentração Automotores Orletti, por onde passaram vítimas da repressão do Plano Condor.

"Condenamos Eduardo Cabanillas à pena de prisão perpétua por homicídio qualificado em cinco oportunidades, privação ilegítima de liberdade em 29 ocasiões e torturas em outras 29", afirma a decisão lida na audiência.

O tribunal condenou também o ex-policial Raúl Guglielminetti a 20 anos de prisão e os agentes civis de inteligência Eduardo Ruffo e Horácio Martínez Ruiz a 25 anos cada um.

Passaram pelo Orletti mais de cem opositores sul-americanos, a maioria uruguaios, mas também chilenos, bolivianos, peruanos e dois funcionários da embaixada de Cuba.

O Plano Condor foi um mecanismo de repressão aplicado nos anos 70 pelas pelas ditaduras da América Latina, que, no contexto da Guerra Fria, tinham como bandeira comum a luta contra a disseminação do comunismo.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: argentinaditadura militarplano condor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG