Argentina critica serviço militar do príncipe William nas Malvinas

Buenos Aires, 2 fev (EFE).- O Governo argentino disse hoje que o anunciado serviço que o príncipe William da Inglaterra prestará nas ilhas Malvinas como membro da Força Aérea britânica evidencia a continuidade da ocupação militar do país em um arquipélago cuja soberania é reivindicada pela nação.

EFE |

"Esta circunstância só serve para pôr mais uma vez em evidência a contínua presença militar britânica em espaços terrestres e marítimos que fazem parte do território argentino", disseram à Agência Efe fontes oficiais.

William, filho mais velho do príncipe Charles da Inglaterra e segundo na linha de sucessão à coroa britânica, após o pai, irá às Malvinas quando concluir, este ano, seu curso de preparação como piloto de helicópteros do serviço de busca e resgate (SAR).

O príncipe se transformará, assim, no primeiro membro da família real a viajar pelo arquipélago como membro das Forças Armadas britânicas desde a guerra com a Argentina, em 1982, pela soberania do território. EFE nk/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG