Argentina convocará Brasil para reunião sobre epidemia da gripe

Buenos Aires, 13 jul (EFE).- O Governo da Argentina convocará os ministros da Saúde de Brasil, Chile, Uruguai, Paraguai e Bolívia para participar esta semana de uma reunião para unificar estratégias contra a gripe suína.

EFE |

"Trata-se de uma reunião com os ministros de países limítrofes que será realizada esta semana em Buenos Aires, mas ainda não temos data definida", explicaram à Agência Efe porta-vozes do Ministério da Saúde da Argentina, nação que tem pelo menos 94 mortos e mais de 100 mil infectados pela gripe.

O Governo Cristina Kirchner procura concretizar o encontro para "compartilhar informação, definir posições e unificar critérios de olho em uma futura vacina, além de analisar os possíveis cenários da pandemia", detalharam.

Os porta-vozes disseram se tratar de uma reunião de perfil político, embora não tenham descartado que participem também especialistas no assunto.

Marie-Paule Kieny, diretora de Pesquisa de Vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS), considerou hoje que a pandemia da gripe "é imparável", e que por isso todos os países precisam da vacina contra o vírus.

O ministro da Saúde argentino, Juan Manzur, afirmou este fim de semana que "é provável" que a quantidade de mortes seja superior às 94 confirmadas oficialmente, depois que números extra-oficiais apontaram que as vítimas passariam de 100 no país.

Manzur também reconheceu que o Governo não soube combater a gripe com um "critério único" ao longo do país, que registra o maior número de mortos pela doença da América do Sul e o terceiro do mundo, atrás apenas de Estados Unidos e México.

Dias atrás, o ministro disse também que o número de infectados na Argentina poderia chegar a 100 mil.

Devido à doença, a capital e a maioria das províncias decretaram emergência de saúde, além de restringir e até suspender as atividades em escolas, universidades, teatros e tribunais.

Segundo os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), a pandemia atinge 94.512 pessoas em mais de 120 países e custou a vida de 429 pessoas, em sua maioria na América.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE ms/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG