Argentina confirma segunda morte por gripe H1N1

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina anunciou nesta terça-feira que uma segunda pessoa morreu vítima da gripe H1N1 no país, onde 733 pessoas foram infectadas pelo novo vírus. Trata-se de um homem de 28 anos que estava internado em um hospital na cidade de La Plata, na província de Buenos Aires, e que tinha sistema imunológico debilitado.

Reuters |

"Nos avisaram ontem (segunda-feira) na última hora" sobre a morte, disse o ministro da Saúde da província de Buenos Aires, Claudio Zin, a um canal de televisão local.

Zin explicou que outro vírus, como uma gripe sazonal, também havia causado a morte "porque são pacientes muito vulneráveis pela debilidade que têm em seus sistemas de defesa".

O jovem, que morreu no dia 12, tinha leucemia e havia recebido um transplante de medula há dez anos.

A imprensa local informou que uma terceira pessoa morreu infectada pelo vírus.

A Argentina é o segundo país com maior número de casos confirmados pelo vírus H1N1 na América do Sul, depois do Chile. Na segunda-feira foi confirmada a morte de um bebê de três meses que estava internado em outro hospital da província de Buenos Aires.

"Em nenhum dos casos encontramos a pessoa que eventualmente havia viajado ao exterior e tenha contagiado estas duas pessoas", explicou o funcionário.

Dezenas de escolas seguem com as aulas suspensas no país e os centros de saúde se encontram cheios devido à grande quantidade de consultas pela gripe H1N1 e pela sazonal, em meio às baixas temperaturas do inverno que favorecem a propagação dos vírus.

(Reportagem de Karina Grazina)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG