Argelinos voltam à Bósnia após serem soltos de Guantánamo

Sarajevo, 16 dez (EFE).- Três argelinos, que também têm cidadania bósnia, foram devolvidos hoje à Bósnia-Herzegovina após serem libertados depois de seis anos de na base militar americana de Guantánamo, segundo informa a imprensa do país balcânico.

EFE |

Os libertados - Aij Idir, Boudela Hajj e Mohammed Mehle -, que foram presos em Guantánamo junto com outros três membros do chamado "grupo argelino", foram soltos por decisão das autoridades judiciais de Washington e chegaram hoje a Sarajevo em um vôo especial da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Após serem postos em liberdade, os três decidiram retornar à Bósnia, onde vivem suas famílias, segundo informou o Ministério de Segurança em Sarajevo.

O grupo argelino foi entregue aos EUA na noite de 17 de janeiro de 2002, apesar de a Suprema Corte da Bósnia ter ordenado anteriormente sua libertação de uma prisão de Sarajevo.

Meses antes, os seis argelinos tinham sido detidos e presos em Sarajevo como suspeitos de atividades terroristas na Bósnia e por terem supostamente vínculos com o grupo Al Qaeda.

Várias organizações de direitos humanos bósnias protestaram então pela entrega do grupo argelino aos EUA.

Esses argelinos faziam parte dos mujahedins que chegaram à Bósnia para apoiar os muçulmanos durante a guerra (1992-1995) e permaneceram depois nesse país, onde se casaram com mulheres bósnias e obtiveram a cidadania local. EFE Nh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG