Argelino Lakhdar Boumediene deixa Guantánamo rumo à França

Lakhdar Boumediene, um argelino preso em Guantánamo por mais de sete anos, deixou nesta sexta-feira o centro de detenção da base naval americana em Cuba com destino à França, anunciou à AFP uma fonte envolvida no caso.

AFP |

"O avião decolou de Guantánamo", afirmou a fonte, sem especificar a hora da partida.

A França havia confirmado no dia 6 de maio que receberia Boumediene e sua família.

O argelino de 42 anos, detido no fim de 2001 quando morava legalmente na Bósnia, foi totalmente absolvido da acusação de terrorismo no dia 20 de novembro de 2008 por um juiz federal.

Em greve da fome desde dezembro de 2006, ele era alimentado à força duas vezes por dia, através de um tubo introduzido em sua narina. O procedimento, muito doloroso, foi qualificado de "tortura" por seus advogados americanos.

Sua mulher e suas duas filhas, de 9 e 13 anos, também serão recebidas pela França. Uma das irmãs de Boumediene mora em Nice, no sul do país.

Muito enfraquecido, o argelino deve ser internado assim que desembarcar na França.

Preso com outros cinco argelinos pela polícia bósnia em 2001 sob a suspeita de que estavam planejando um atentado contra a embaixada americana de Sarajevo, Boumediene foi inocentado rapidamente, mas ele e seus colegas foram enviados mesmo assim às autoridades americanas e transferidos logo em seguida para Guantánamo.

Depois de uma batalha judicial de vários anos, Lakhdar Boumediene e quatro de seus companheiros foram finalmente absolvidos por um juiz americano.

lum/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG