Arcebispo inglês defende direito de gays se tornarem bispos

Ativistas para a igualdade afirmaram que as palavras do arcebispo colocam a unidade da Igreja acima dos direitos dos gays e lésbicas

EFE |

O arcebispo de Canterbury (sudeste do Reino Unido), Rowan Williams, afirmou que para ele não há nenhum problema em haver bispos homossexuais, desde que mantenham o celibato.

Em entrevista ao jornal britânico "The Times", Rowan Williams expressou seu apoio pessoal à consagração de bispos gays na Igreja da Inglaterra. No entanto, indicou que nunca aprovaria o fato de um bispo gay manter relações homossexuais, já que a tradição requer que clérigos continuem sendo solteiros.

Os ativistas para a igualdade afirmaram que as palavras do arcebispo colocam a unidade da Igreja acima dos direitos dos gays e lésbicas. Williams disse que, desde sua nomeação como arcebispo de Canterbury, em 2002, sabia que o assunto da homossexualidade na Igreja constituía "uma ferida em todo o Ministério".

"Não há nenhum problema em uma pessoa gay se tornar bispo. Tradicionalmente, historicamente, há standards que os clérigos devem observar. Portanto sempre aparece a pergunta sobre a vida pessoal do clérigo", disse.

O arcebispo de Canterbury também reconheceu ao jornal que um dos momentos mais difíceis em seus oito anos no posto foi quando bloqueou a nomeação do clérigo solteiro homossexual Jeffrey John para ocupar o posto de bispo de Reading.

Com relação a esse fato, e em declarações a esse mesmo veículo, o ativista pelos Direitos Humanos Peter Tatchell rotulou o arcebispo de "inconsistente". "A seus olhos, a unidade da Igreja é mais importante que os Direitos Humanos das lésbicas e os gays", disse Tatchell.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG