Arábia Saudita sugere preço para petróleo; Opep reunida

Por Peg Mackey CAIRO (Reuters) - A Arábia Saudita disse neste sábado que US$ 75 por um barril é um preço justo para o petróleo, naquela que é a primeira vez em anos que o maior exportador de petróleo do mundo sugere um preço-alvo para o óleo.

Reuters |

A informação dos sauditas chega enquanto os países da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) se reúnem no Egito, para discutir a situação de oferta. Mas o encontro deve terminar sem que um novo corte na produção seja realizado.

O ministro saudita do petróleo Ali al-Naimi disse que os preços precisam retornar aos US$ 75 para manter os novos e caros projetos de prospecção de novas reservas em desenvolvimento. Seus comentários podem ser um alívio para as nações consumidoras, que temiam uma volta ao patamar de mais de US$ 100 por barril. A cotação no mercado americano fechou a sexta-feira com o preço de cerca de US$ 55.

"Há uma boa lógica por trás do preço de US$ 75 por barril",

disse o ministro saudita do petróleo Ali al-Naimi, voz mais influente da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), aos repórteres no Cairo, onde é realizada uma reunião dos países que compõem a entidade.

"Vocês sabem por quê? Porque eu acredito que é o preço para o produtor que trabalha no limite. Se o mundo precisa do suprimento que vem de todas as fontes, nós temos de proteger o preço para elas. Eu acho que US$ 75 é um preço justo", disse ele.

O rei saudita Abdullah anunciou que US$ 75 é um preço justo em uma entrevista que concedeu ao jornal Al-Seyassah, do Kwait.

Os comentários de Naimi não significam um impulso nos boatos de que a OPEP adotaria um novo preço formal para guiar sua política de fornecimento. Mas a interrupção inesperada da atitude de se recusar a sugerir um preço oficial para os consumidores dará aos mercados um novo ponto de referência quando a demanda mundial por petróleo for retomada depois da atual crise econômica que tem provocado recessão.

Por enquanto, os US$ 75 estão distantes de serem atingidos.

Depois de não ter havido nenhuma ação forte da organização após duas rodadas em que a expectativa de redução de produção para aumentar os preços não deram certo, alguns dos delegados da OPEP questionam a estratégia para se retomar o patamar de

US$ 75.

"É bom ter US$ 75 como preço sugerido, mas qual é a estratégia que eles estão propondo para se chegar aos US$ 75? Nós precisamos retirar o excesso de produção do mercado para equilibrar a oferta e a demanda," disse um importante delegado da OPEP, de um país de fora do Golfo Pérsico.

A OPEP vem sendo cautelosa ao definir qualquer tipo de meta de preço do petróleo desde que a faixa estabelecida de US$ 22 a US$ 28 nos primeiros anos desta década foi dizimada pela alta entre os US$ 30 cobrados em 2003 ao recorde de US$ 147 atingido em julho.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG