Arábia Saudita frustrou 31 ataques da Al Qaeda em 6 anos

Cairo, 8 set (EFE).-A Arábia Saudita conseguiu frustrar nos últimos seis anos 31 ataques de grupos extremistas vinculados à rede terrorista Al Qaeda, segundo um relatório do Ministério do Interior saudita publicado hoje no jornal árabe internacional Al-Hayat.

EFE |

Segundo fontes confidenciais citadas, a maioria dos ataques iam dirigidos contra instalações petrolíferas chave do reino, o maior produtor de petróleo do mundo.

O estudo afirma que o Governo conseguiu frustrar 11 grandes operações terroristas contra instalações petrolíferas e outras 20 contra outros alvos econômicos.

"Ao haver-se evitado a maioria destes ataques evitamos que a economia e os projetos se tenham visto afetados", segundo conclui o estudo.

É a primeira vez que se faz pública informação deste tipo, em um país que se caracteriza pelo segredo que rodeia à luta contra o terrorismo.

O primeiro grupo que começou a atuar na Arábia Saudita foi Al Qaeda na Península Arábica. No dia 12 de maio de 2003 lançou uma série de ataques com bomba contra zonas residenciais da capital, Riad.

Dezenas de pessoas foram assassinadas, entre elas muitos estrangeiros e especialmente americanos.

Centenas de membros da Al Qaeda foram detidos pelas forças de segurança do país nos últimos anos. Outros tantos morreram enquanto cometiam suas ações ou se imolavam em ataques suicidas.

No último dia 27 de agosto, um terrorista se suicidou tentando matar o vice-ministro de Interior, o príncipe Mohammed bin Nayef Abdel Aziz, detonando os explosivos que tinha dentro de seu corpo.

EFE nq/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG