Arábia Saudita e Egito pedem cessar-fogo imediato em Gaza

Riad, 13 (EFE).- A Arábia Saudita e o Egito realizaram hoje um apelo para que se estabeleça um cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza e que se aplique o plano de paz do Egito, para acabar com as hostilidades entre Israel e o Hamas.

EFE |

Os dois países realizaram este apelo em um comunicado conjunto, emitido pouco após uma reunião entre o rei saudita, Abdullah bin Abdelaziz, e o presidente egípcio, Hosni Mubarak, que está em visita a Riad.

"As duas partes, a saudita e a egípcia, destacaram a necessidade de um cessar-fogo imediato em Gaza e a aplicação da iniciativa egípcia, lançada pelo presidente Mubarak", diz a nota.

O plano egípcio contempla uma trégua por um período limitado e a abertura dos postos fronteiriços para que se possa receber assistência humanitária em Gaza.

Além disso, o plano estabelece negociações para interromper o bloqueio que Gaza sofre há um ano e meio, garantias para evitar uma deterioração do conflito e para dar passos para conseguir a reconciliação entre diferentes grupos palestinos.

O texto também acrescentou que os dois líderes combinaram realizar conversas com outros líderes árabes no âmbito de uma cúpula econômica no Kuwait, que começará na próxima segunda.

No comunicado não há menção à proposta do Catar de realizar uma cúpula árabe extraordinária em Doha na próxima sexta para discutir a rejeição de Israel à resolução 1.860 do Conselho de Segurança da ONU, que pede um cessar-fogo em Gaza.

A recusa dos regimes árabes moderados do Egito e da Arábia Saudita de comparecer a uma cúpula de chefes de Estado Árabes no Catar traz mais dúvidas sobre sua possível realização.

A Liga Árabe anunciou hoje que 12 de seus 22 Estados-membros aceitaram a proposta do Catar, que segundo os estatutos da organização pan-árabe precisa da aprovação de dois terços para ser realizada.

Por enquanto, a única coisa que a Liga Árabe convocou é uma reunião ministerial que acontecerá no Kuwait em 16 de janeiro, três dias antes da cúpula econômica árabe que acontecerá neste país. EFE as/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG