Arábia Saudita construirá novas cidades e quer investidores brasileiros

Empresários brasileiros estão sendo convidados a investir em um audacioso projeto da Arábia Saudita de construir quatro novas cidades que juntas custarão US$ 60 bilhões (cerca de R$ 125 bilhões).

BBC Brasil |

BBC

Projeto de uma das
Projeto de uma das "cidades econômicas" sauditas

Segundo o diretor-geral do órgão do governo responsável pelos investimentos sauditas, Ahmed Osilan, o país árabe já construiu duas "cidades econômicas" e vai investir em outras quatro para diversificar a economia saudita, hoje dependente do petróleo.

"As cidades serão pólos de tecnologia de informação, pesquisa, indústria farmacêutica, portos marítimos, petroquímica e alimentos. Para isso convidamos empresas brasileiras que têm conhecimento e tecnologia em algumas áreas que interessam à Arábia Saudita", disse Osilan à BBC Brasil.

Outro setor que atraiu os brasileiros, segundo Osilan, é o de prestação de serviços. Segundo ele, empresários brasileiros do setor de alimentos já mostraram interesse em fornecer serviços terceirizados de alimentos para os trabalhadores das obras.

A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de servir para incrementar as relações comerciais entre os dois países e aumentar as exportações brasileiras ao país árabe, está servindo para atrair investimentos sauditas no Brasil.

No entanto, os árabes fazem esforços para atrair empresas brasileiras para seu território.

"O projeto das cidades atrairá empresas de diversos lugares do mundo, e nós queremos os brasileiros, principalmente em áreas de ponta como indústria química e alimentos".

Competividade

O projeto das novas cidades criará, segundo Osilan, um total de 1,3 milhões de empregos e, uma vez recebendo os investimentos previstos, as cidades aumentarão o Produto Interno Bruto (PIB) do país em US$ 150 bilhões e deverão estar finalizadas até 2015.

A Arábia Saudita possui, hoje, um PIB de US$ 344 bilhões.

"As cidades juntas terão uma população de quatro a cinco milhões de habitantes e darão à Arábia Saudita maior competitividade no mercado mundial", disse Osilan.

Ele explicou que o governo saudita quer ver a economia do país entre as 10 mais competitivas do mundo até 2020.

"Cada cidade ficará localizada em uma área do país para desenvolver suas regiões e transformar o mapa da economia saudita".

As cidades serão localizadas nas regiões de Rabigh, Hail, Medina e Jazan.

Medina é a segunda cidade mais sagrada para o Islamismo, no oeste do país, perto do Mar Vermelho.

Segundo Osilan, uma das cidades será construída em seus arredores.

Leia mais sobre Lula

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG