Argel, 1 out (EFE).- A organização terrorista Al Qaeda para o Magrebe Islâmico (AQMI) reivindicou hoje o atentado suicida perpetrado no domingo passado em Dellys, na província de Boumerdès, que causou três mortos e seis feridos, assim como outros 15 ataques terroristas também na Argélia.

Em comunicado divulgado na internet, a AQMI reivindica a autoria do atentado suicida de domingo, o único deste tipo registrado durante o mês do Ramadã, realizado pouco depois da ruptura do jejum diário, contra um quartel do Exército e que matou dois militares e um outro guarda.

No mesmo comunicado, a organização terrorista publica a fotografia do suicida que atentou em 19 de agosto contra a escola de Gendarmaria de Les Issers, em Boumerdès, causando 48 mortes e deixando dezenas de feridos, a maioria deles civis.

A AQMI identificou o suicida, que detonou um carro-bomba contra a porta da academia deste corpo militar, como Rahmane Abu al-Abbas.

Durante o mês sagrado muçulmano do Ramadã, que terminou hoje com a festa Eid ul-Fitr, diminuíram os ataques terroristas no país norte-africano frente à onda de atentados do final de agosto.

Mesmo assim, alguns atentados na Cabília e ao leste de Argel causaram em setembro uma dezena de mortos entre civis e membros das forças de segurança.

Nas vésperas do Ramadã, aconteceram até cinco atentados suicidas que causaram mais de 70 mortes.

Estes atos foram reivindicados pela AQMI em diferentes comunicados divulgados na internet. EFE jg/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.