AQMI ameaça matar refém no Níger caso R.Unido não solte clérigo

Cairo, 26 abr (EFE).- O grupo terrorista Al Qaeda para o Magrebe Islâmico (AQMI) ameaçou matar o refém britânico sequestrado no norte de Níger em janeiro passado junto com outros três turistas ocidentais caso o Reino Unido não liberte o jordaniano Abu Qatada, informou hoje a rede de televisão Al Jazira.

EFE |

O clérigo Abu Qatada, considerado o "embaixador espiritual" na Europa do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, permanece detido em um presídio de segurança máxima na Inglaterra enquanto enfrenta um processo de extradição à Jordânia.

Qatada, de 48 anos, foi detido em 2005 para ser deportado ao seu país de origem, mas iniciou um longo processo para evitar sua extradição.

Segundo a "Al Jazira", o AQMI fez seu pedido por meio de uma nota postada em um site habitualmente utilizado pelos extremistas.

"Pedimos ao Reino Unido para que libertem o xeque (Abu Qatada), que foi vítima de uma injustiça, em troca da libertação de seu cidadão. Daremos 20 dias de prazo a partir da divulgação deste comunicado".

O texto continua com a seguinte ameaça: "Quando acabar este prazo, os 'mujahedins' (guerreiros islâmicos) executarão o refém caso o pedido não seja atendido".

Em janeiro passado, o AQMI sequestrou quatro turistas - dois suíços, uma alemã e um do Reino Unido - na fronteira entre Mali e Níger.

Há quatro dias, os sequestradores libertaram as duas mulheres do grupo, uma suíça e a alemã, além de um diplomata canadense e seu assistente capturados em dezembro passado pela mesma organização.

O grupo já exigiu a soltura de membros da Al Qaeda detidos no Mali e na Argélia e de outros militantes presos na Europa, sempre em troca da libertação dos reféns. EFE aj-ssa/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG