Apuração quase completa mostra CNA abaixo dos dois terços na África do Sul

JOHANESBURGO - Com apenas 14 das quase 20 mil seções eleitorais da África do Sul ainda não apuradas, o Congresso Nacional Africano (CNA) está abaixo dos dois terços dos votos que esperava conseguir nas eleições de quarta-feira para poder reformar Constituição sem fazer alianças com outros partidos.

EFE |


Segundo a Comissão Eleitoral Independente (CEI), com uma participação de 77% dos 21,3 milhões de eleitores inscritos, o CNA recebeu 11.323.145 dos 17.385.395 votos válidos apurados até agora.

Esta cifra dá ao partido do governo sul-africano 66,02% dos votos, a poucos décimos dos dois terços, mas ainda abaixo deles.

A porta-voz do CNA, Jessie Duarte, procurou minimizar a decepção por não obter os dois terços pretendidos.

Ela disse que seu partido "não está muito preocupado pelos dois terços, pois estamos muito contentes com a maioria", insistindo em que 66% representam "um sólido mandato".

Em segundo lugar, a apuração mostrava a liberal Aliança Democrática (DA), liderada por Helen Zille, com 2.826.493 votos válidos, 16,48% do total.

Em terceiro lugar, vinha o Congresso do Povo (Cope), uma dissidência do CNA surgida com força devido à destituição, pelo próprio partido, do ex-presidente, Thabo Mbeki.

De acordo com a CEI, a nova legenda obteve 1.275.640 dos votos, 7,44% do total.

Em quarto vinha o Inkata Liberdade, de Manghosutu Butelezi, com cerca de 4,5%, enquanto os demais não chegavam a 1% dos votos.

Saiba mais sobre Zuma:


Leia mais sobre: África do Sul

    Leia tudo sobre: africa do suláfrica do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG