Apuração parcial dá vitória a comunistas na Moldávia

Moscou, 30 jul (EFE).- Os comunistas conservam o controle do Parlamento da Moldávia, mas dificilmente poderão escolher o presidente do país, segundo os resultados parciais das eleições extraordinárias anunciadas hoje pelas autoridades.

EFE |

Após a apuração de 18,2% das cédulas, o governista Partido dos Comunistas obteve 51,9% dos votos, informou o presidente da Comissão Eleitoral Central (CEC) moldávia, Yurie Ciocan, à agência russa "Interfax".

Além do PC, terão acesso Legislativo quatro partidos da oposição liberal, que juntos obtêm 43,7% dos votos, disse o funcionário.

São os partidos Democrático Liberal (PDL, com 13,7%), o Democrático (PD, 13,1%), Liberal (PL, 9,6% ) e a Aliança Nossa Moldávia (ANM, 7,2%), explicou.

Se os resultados forem confirmados, e que diferem bastante dos de uma pesquisa de boca-de-urna divulgada após o fechamento dos colégios, o PC obterá 52 dos 101 assentos parlamentares necessários para formar Governo.

Mas os comunistas não alcançaram os 61 assentos necessários para escolher no Parlamento o presidente do país, e a nova Câmara corre o risco de ser dissolvida, como ocorreu com a anterior, escolhida em abril em meio a violentos distúrbios.

A pesquisa de boca-de-urna dava ao PC, que governa a Moldávia há oito anos, 43 das 101 cadeiras parlamentares, enquanto as quatro legendas da oposição acumulariam juntas 58 deputados e, caso mantenham sua aliança, poderiam formar o Governo.

Segundo a Constituição, caso o novo Legislativo não consiga escolher o chefe de Estado, outras eleições extraordinárias poderão ser realizadas apenas dentro de um ano, prazo durante o qual a Moldávia seguiria sendo governada pelo atual presidente, o comunista Vladimir Voronin. EFE si/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG