Apuração chega ao fim; Karzai e Abdullah se declaram vencedores

Os dois principais candidatos na eleição presidencial do Afeganistão, o atual chefe de Estado Hamid Karzai e seu ex-ministro Abdullah Abdullah, afirmaram nesta sexta-feira que lideram a apuração dos votos, mas a Comissão Eleitoral se recusou a confirmar qualquer resulgado.

AFP |

Um dia depois das eleições presidenciais e provinciais, a comissão anunciou a conclusão da apuração nas circunscrições, mas ainda aguarda a chegada a Cabul das cédulas, o que torna muito prematuro proclamar um resultado.

O porta-voz da comissão, Zekria Barakzaï, anunciou que o índice de participação deve ficar entre 40 e 50%, mas destacou que os números definitivos serão conhecidos apenas dentro de alguns dias.

"A participação não foi a mesma no norte, sul e centro do país, mas foi bastante boa", declarou.

Quase ao mesmo tempo, a equipe de Karzai anunciou a vitória de seu candidato no primeiro turno.

"Segundo a informação que temos até agora, podemos dizer que não será necessário um segundo turno. Estamos na frente", afirmou Din Mohammad, diretor da campanha de Karzai.

"Recebemos os dados de nossos observadores", acrescentou.

Mas a equipe do ex-ministro das Relações Exteriores Abdullah Abdullah também reivindicou uma vitória de seu candidato, com base em resultados parciais.

"Os resultados que recebemos de nossos observadores nos dizem que temos 63% dos votos e Karzai tem 31%", declarou à AFP Sayed Aqa Fazil Sancharaki, porta-voz da campanha de Abdullah.

"Não são resultados definitivos. Seguimos recebendo resultados de nossos agentes em campo. Talvez os tenhamos amanhã", completou.

Mas Barakzaï se recusou a confirmar os anúncios dos candidatos.

"Não podemos confirmar esta declaração. A tarefa desta comissão é anunciar os resultados e vamos esperar os mapas de resultados", disse, antes de pedir "paciência" aos candidatos.

Adrian Edwards, porta-voz da missão da ONU no Afeganistão, muito envolvido na organização das eleições, também pediu paciência.

"Não há resultados até que a Comissão Eleitoral os anuncie. O resto é especulação".

Segundo uma pesquisa divulgada antes das eleições pelo Instituto Republicano Internacional, com sede nos Estados Unidos, Karzai obteria 44% dos votos, contra 26% de Abdullah.

As eleições presidenciais afegãs, as segundas da turbulenta história deste país, e as regionais aconteceram na quinta-feira. A comissão eleitoral anunciou que 95% dos locais de votação abriram as portas.

A apuração começou logo após o fim do horário de votação e prosseguiu até a madrugada.

Os talibãs pediram um boicote das eleições, que consideraram uma "farsa orquestrada pelos Estados Unidos" e prometeram atacar os colégios eleitorais.

Apesar do banho de sangue temido pelas autoridades não ter se concretizado, a Comissão Eleitoral anunciou nesta sexta-feira que os talibãs mataram 11 funcionários eleitorais.

"Infelizmente temos informações de que que 11 trabalhadores da comissão comprometidos com eleições transparentes e exitosas no país foram assassinados desde o início dos preparativos até quinta-feira", afirma um comunicado.

Além disso, dois soldados britânicos morreram no sul do Afeganistão no dia das eleições, em um incidente não relacionado com a votação, segundo Londres.

Os observadores eleitorais temem que uma forte abstenção diminua a credibilidade do processo, já manchado por acusações fraude e irregularidades diversas, que as autoridades eleitorais prometeram investigar, caso por caso.

sak-mba/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG