Aprovação de Bachelet se mantém em 84% após terremoto

Santiago do Chile, 9 mar (EFE).- O nível de aprovação da presidente do Chile, Michelle Bachelet, se mantém intacto em 84% mesmo após o terremoto que atingiu o país no dia 27 de fevereiro.

EFE |

"A presidente Bachelet sai imune da hecatombe", indicaram os consultores da empresa privada Adimark. Eles criaram uma enquete para medir o efeito do terremoto na popularidade da socialista.

Bachelet entregará o cargo quinta-feira para o direitista Sebastián Piñera.

A empresa mediu mensalmente a aprovação da presidente desde a chegada dela ao Palácio de la Moneda, em março de 2006., A última enquete havia sido finalizada no dia 24 de fevereiro e terminou com 84% de aprovação. Após a catástrofe, a empresa de consultoria repetiu a pesquisa e obteve o mesmo resultado.

O número foi inferior apenas em uma pergunta específica a respeito do manejo da situação de emergência: 75% de aprovação, considerado, de todas as formas, muito positivo.

A enquete também detectou uma avaliação mais crítica nas zonas mais afetadas pelo desastre. No entanto, o tamanho da amostra "é insuficiente para informar separadamente os dados dessas zonas".

O Governo de Bachelet recebeu críticas pela demora em responder à situação criada pelo terremoto. O envio de ajuda às zonas devastadas levou até quatro dias.

As autoridades também foram criticadas por não terem tomado medidas para evitar os saques e por não alertarem a população sobre o tsunami que seguiu o terremoto.

Independentemente do desastre, a ação do governo para manter a ordem, a segurança pública e os serviços básicos foi aprovada por 60% dos chilenos.

No caso específico do controle da delinquência, em uma área tradicionalmente crítica para Bachelet, apenas 35% aprovaram a forma como o governo lidou com o tema.

A enquente de fevereiro contou com 1.104 entrevistados e a de março, 1.129. A margem de erro é de 3%. EFE.

ns/pb-id

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG