Aprotinin aumenta risco de morte em cirurgia cardíaca (estudo)

O aprotinin, uma droga usada para impedir a perda de sangue durante cirurgias cardíacas, aumenta o risco de morte, segundo um estudo clínico realizado no Canadá e publicado nos Estados Unidos nesta quarta-feira.

AFP |

O laboratório alemão Bayer produz a droga, vendida sob o nome comercial de Trasylol e tirada temporariamente do mercado em outubro de 2007.

O estudo, publicado no New England Journal of Medicine, mostrou que quase 6% dos pacientes que receberam o aprotinin morreram nos 30 dias seguintes à cirurgia, contra 4% dos operados que receberam ácido tranexâmico ou ácido aminocaproico".

"Estas três drogas foram usadas frequentemente na cirurgia cardíaca por mais de uma década, mas esta é a primeira prova que rigorosamente as compara em um cenário maior e com resultados clínicos significativos", disse Dean Fergusson, um dos autores do estudo.

"Tratei de vários pacientes com complicações de cirurgia cardíaca e sei que estes resultados são importantes para os operados, suas famílias e para o pessoal de saúde", disse Paul Hebert, outro pesquisador.

O estudo envolveu 2 mil pacientes submetidos a cirurgia cardíaca em 19 hospitais canadenses.

js/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG