Apresentada candidatura das Avós da Praça de Maio ao Nobel da Paz

Buenos Aires, 12 mai (EFE) - O ex-ministro da Educação argentino Daniel Filmus apresentou hoje oficialmente a candidatura ao Prêmio Nobel da Paz da organização Avós da Praça de Maio, a entidade humanitária que até o momento devolveu a verdadeira identidade a 89 filhos de desaparecidos durante a última ditadura (1976-1983). Em um ato na sede da Câmara Alta, o hoje senador governista destacou que promoveu a candidatura em função da luta pelos direitos humanos das Avós nos últimos 30 anos. Para nós, já é um prêmio ser indicadas, assinalou a presidente das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, que considerou que se a organização receber o Prêmio Nobel, será uma honra para o país em seu conjunto. Sem minimizar a candidatura, Carlotto disse que o maior Nobel que o grupo pode querer é cada neto o qual a organização encontra e restitui sua identidade. As Avós são mulheres comuns que saem da vida cotidiana porque nos tiraram o mais sagrado, que são os filhos. E se, além disso, nasceu um neto, cujo paradeiro desconhecemos, isso nos dá mais forças para continuar caminhando, afirmou.

EFE |

Nesse sentido, Daniel Filmus avaliou que o trabalho das Avós foi "sistemático", com tarefa investigativa e com "campanhas de difusão" para incentivar os jovens que têm dúvidas sobre suas origens a recorrer à entidade humanitária.

Além de Estela de Carlotto e Filmus, compareceram ao ato o vice-presidente argentino, Julio Cobos, representantes do Governo e de organismos de direitos humanos.

As Avós da Praça de Maio calculam que há 500 filhos de desaparecidos que foram roubados de seus pais quando estavam em cativeiro durante a ditadura, que, segundo estimativas oficiais, deixou 18 mil vítimas. EFE cw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG