Apreensão histórica evidencia fracasso da erradicação de haxixe no Afeganistão

A polícia afegã realizaou uma histórica apreensão de 236 toneladas de haxixe na província de Kandahar e, nesta quarta-feira, reconheceu o fracasso da política para erradicar os campos de papoula no sul do Afeganistão, que atribuiu à ameaça dos rebeldes.

AFP |

"No total, nesta segunda apreendemos 236,8 toneladas de haxixe, que foram queimadas", afirmou general Abdul Hadi Jalid, vice-ministro do Interior.

"Segundo nosso conhecimento, é a maior apreensão de haxixe já realizada no mundo", acrescentou.

A Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF), da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), por sua vez, classificou de "a maior apreensão do mundo".

O valor dessa droga no mercado atacadista chega a 400 milhões de dólares, afirmou a Isaf, precisando que, dessa soma, 14 milhões iam para os bolsos dos talibãs.

Esta operação serviu, além disso, para que Cabul reconhecesse que a política de erradicação dos cultivos de papoula não deram frutos no sul do Afeganistão, em particular nas províncias de Helmand e Kandahar (sul) e nas Farah (sudoeste) e Oruzgan (centro-sul).

Segundo um informe publicado em 2007 pelo governo afegão e a ONU, cerca de 70% da droga que produz no Afeganistão provêem do sul do país.

Com 8.200 toneladas produzidas em 2007, o Afeganistão controla praticamente a produção de ópio (93%) segundo a ONU. Essa atividade supõe rendimentos de 4 bilhões de dólares anuais, parte dos quais servem para financiar os talibãs.

sak/thm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG