Apreendidos bens da máfia na Itália no valor de 4 bilhões de euros em 2008

As autoridades italianas apreenderam bens da máfica durante o ano de 2008 num valor de 4 bilhões de euros, anunciou nesta segunda-feira o ministro do Interior, Roberto Maroni.

AFP |

Trata-se de uma cifra notável, já que representa o triplo do valor dos bens arrestados no ano anterior, estimou o ministro durante entrevista à imprensa.

"Antes, se o mafioso morresse, seu patrimônio passava aos herdeiros. Agora esses bens permanecem embargados e fazem parte do patrimômio público", explicou Maroni.

"Continuaremos atacando o dinheiro da máfia", advertiu o ministro, assegurando que os imóveis apreendidos serão entregues "imediatamente" a associações contra a máfia, enquanto as empresas vão prosseguir suas atividades, rompendo assim o círculo judicial que impedia, até agora, sua utilização.

Maroni inaugurou em novembro passado um centro turístico na cidade de Corleone, no centro da Sicília, construído numa propriedade confiscada ao chefão Toto Riina.

Riina, detido desde 1993, era proprietário de uma fazenda de 25 hectares, com duas casas, as quais foram cedidas à associação "Desenvolvimento e Legalidade" para que fossem transformadas em restaurante, hotel para turistas e uma loja de produtos locais. A estrutura será aberta ao público em 2009.

Entre os objetos embargados figuram também um Ferrari amarelo e um Porsche Cayenne preto, que passarão a ser de uso da polícia.

    Leia tudo sobre: itáliamafia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG