Fritzl argentino é condenado a 16 anos de prisão - Mundo - iG" /

Fritzl argentino é condenado a 16 anos de prisão

A Justiça argentina condenou a 16 anos de prisão, nesta terça-feira, um homem de 73 anos de idade por ter abusado sexualmente de sua filha, tendo tido dois filhos com ela, segundo informações da imprensa local.

BBC Brasil |

O caso de Eleuterio Soria, que abusou sexualmente de sua filha por mais de 10 anos e não deixava que ela saísse de casa, foi comparado pela imprensa argentina ao caso do austríaco Josef Fritzl , que manteve a filha Elisabeth presa no porão de sua casa por 24 anos, e com quem teve 7 filhos.

"Se falarmos da subserviência sexual e se levarmos em conta que a vítima não saía à rua, podemos falar de semelhanças", disse o promotor do caso, Sérgio Antin.

Segundo a denúncia, a jovem foi abusada entre os 11 e 22 anos de idade, quando conseguiu fugir de casa. A promotoria conseguiu provar apenas três violações com contato carnal, duas que teriam provocado a gravidez e o nascimento dos dois filhos (hoje com 7 e 14 anos de idade), e a terceira, quando a jovem escapou.

Segundo o promotor, "quando a vítima completou 22 anos e conseguiu fugir de casa, pôde conhecer a estação de trem de seu bairro, González Catán", em La Matanza, na grande Buenos Aires.

A mulher, cujo nome não foi revelado na imprensa argentina, hoje tem 28 anos de idade, está casada e teve outros dois filhos.

O Tribunal de Menores Número 3 de La Matanza começou a investigar o caso depois da denúncia feita pela própria vítima.

Leia também:

    Leia tudo sobre: seqüestroáustria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG