Por Michael Conlon CHICAGO (Reuters) - Um homem transgênero que está no sexto mês de gravidez disse em uma entrevista no programa da apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, nesta quinta-feira, que ele sempre quis ter um filho e considera sua condição um milagre.

Thomas Beatie, de 34 anos, nasceu mulher, mas 10 anos atrás decidiu tornar-se homem. Começou, então, um tratamento com testosterona e se submeteu a uma cirurgia para remover glândulas e achatar o peito.

'Ter um filho não é um desejo masculino ou feminino, é um desejo humano', afirmou Beatie, que tem barba rala. 'Tenho uma identidade masculina muito estável', acrescentou ele, dizendo que a gravidez nem o define nem o faz sentir-se feminino.

'Optei por não fazer nada com meus órgãos reprodutivos porque queria ter um filho um dia', disse ele a Oprah.

A mulher de Beatie, Nancy, disse que o inseminou com uma seringa, usando esperma comprado de um banco de esperma.

Os dois estão casados há cinco anos. Nancy, que tem duas filhas de um casamento anterior, também apareceu no programa e afirmou que os papéis do casal não mudarão depois da chegada do bebê.

'Ele vai ser o pai e eu serei a mãe', disse Nancy.

O casamento é legal, e Beatie é reconhecido como homem, de acordo com a lei do Estado do Oregon, onde moram.

O programa exibiu um vídeo entregue pela revista People -- que colaborou com Oprah -- no qual aparece o quarto onde ficará o bebê. Beatie disse que a garotinha será a pequena princesa do 'papai'.

Uma outra cena mostra o casal em sua cidade natal, Bend, no Oregon, no momento em que ele se submete a um ultra-som para ver o bebê no útero.

'Não posso acreditar. Não posso acreditar que ela está dentro de mim', diz Beatie, enquanto observa as imagens de ultra-som. 'Nós a vemos como nosso pequeno milagre.'

Sua obstetra, Kimberly James, disse a Oprah: 'Esta é uma gravidez normal'. Ela explicou que Beatie parou de tomar testosterona dois anos atrás e seus níveis hormonais agora estão normais.

'Este bebê é totalmente saudável', disse James. 'É o que considero uma gravidez normal.'

Eles disseram que decidiram falar publicamente sobre o assunto porque querem controlar o modo como o fato é noticiado.

'Agora vamos ter o bebê. Se for necessário, vamos nos esconder', disse Nancy.

Beatie e Nancy têm um pequeno negócio em Bend e possuem algumas economias, afirmou ela. Além disso, Beatie está escrevendo um livro sobre sua infância, o suicídio de sua mãe e sua vida no Havaí, onde participou de um concurso de beleza quando ainda era uma garota, e depois conquistou a categoria máxima em artes marciais.

Oprah definiu a situação como 'uma nova definição do que a diversidade significa para cada um'.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.