Após visitar Índia, Obama desembarca na Indonésia

Presidente americano visita maior país muçulmano do mundo, onde viveu na infância; vulcão Merapi pode encurtar a viagem

iG São Paulo |

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, desembarcou nesta terça-feira em Jacarta, na Indonésia, para uma visita oficial na qual assinará acordos comerciais e visitará a mesquita de Istiqlal, na maior do sudeste da Ásia.

Durante a infância, Obama viveu na Indonésia, maior país muçulmano do mundo. A viagem desta semana será curta: ao lado da esposa, Michelle, o presidente americano deve ficar apenas cerca de 24 horas na Indonésia. Depois, dará continuidade a seu giro pela Ásia e seguirá para Coreia do Sul e Japão.

Reuters
Obama e a mulher, Michelle, desembarcam em Jacarta, na Indonésia

A visita de Obama à Indonésia foi adiada duas vezes por causa de questões políticas americanas: as negociações para a aprovação da reforma da saúde e o vazamento de óleo no Golfo do México. A viagem desta terça-feira também correu o risco de ser adiada devido à erupção do vulcão Merapi, na ilha de Java, que atrapalhou o tráfego aéreo do país. Ainda existe a possibilidade de Obama deixar o país algumas horas antes do previsto por causa do vulcão.

Entre seus compromissos na Indonésia estão uma reunião com o presidente Susilo Bambang Yudhoyono, um jantar oficial no palácio presidencial e um discurso na Universidade da Indonésia.

Obama, que nasceu nos Estados Unidos, se mudou para a Indonésia aos seis anos, quando sua mãe se casou com um indonésio. Ele voltou aos EUA quatro anos depois.

Índia

A primeira etapa da viagem de Obama à Ásia foi a Índia, onde o presidente americano passou três dias. Na segunda-feira, ele expressou seu apoio à candidatura do país por um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

"A ordem internacional justa e sustentável que os Estados Unidos buscam incluem uma ONU eficiente, efetiva, crível e legitimada", disse Obama, ao discursar no parlamento indiano, em Nova Délhi.  "Isso é o que eu posso dizer hoje - nos anos que virão, eu espero que o Conselho de Segurança da ONU sofra uma reforma que inclua a Índia como membro permanente", acrescentou. Mais cedo, durante encontro com o primeiro-ministro indiano Manmohan Singh, Obama disse que a relação entre os Estados Unidos e a Índia será "uma das parcerias que definirão o século 21". O líder americano acrescentou que a Índia não é apenas um país emergente, mas, sim, uma potência mundial.

Singh, por sua vez, disse que compartilhava da visão de Obama para a Ásia e que ambos os países serão parceiros em projetos no Afeganistão e na África. Ele também disse que, como nações de poderio nuclear, os dois países liderarão esforços globais pelo desarmamento.

Obama chegou à Nova Dhéli no domingo, depois de passar por Mumbai, onde anunciou acordos comerciais de US$ 10 bilhões entre os dois países. Em Mumbai, ele também pediu que Índia e Paquistão retomem o diálogo bilateral formal, alegando que a instabilidade do país vizinho é prejudicial para os indianos.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: obamaásiaindonésiamuçulmanos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG