Após tiroteio, Cidade do México reforça segurança no metrô

México - Cerca de 1.600 policiais reforçarão a segurança no metrô da Cidade do México, depois que um homem abriu fogo na sexta-feira em uma estação e deixou dois mortos e oito feridos.

EFE |

As câmeras de segurança do metrô captaram as cenas em que o agressor, identificado como Luis Felipe Hernández Castillo, de 38 anos, dispara à queima-roupa contra dois policiais e, após brigar com um cidadão, se mata com um tiro na cabeça.

AP
Mulher chora após tiros no metrô do México

Mulher chora após tiros no metrô do México


O policial que morreu no ataque foi enterrado hoje com honras no Monumento à Revolução da capital mexicana, em uma cerimônia pública para reconhecer sua coragem.

O agente morreu após surpreender Hernández Castillo pichando na estação do metrô Balderas, em que chamava o Governo de "criminoso".

Após chamar ter sido chamado pelo policial, o atirador sacou uma arma e começou a disparar indiscriminadamente.

Testemunhas asseguram que o homem, original do estado de Jalisco, disse que atirou em nome de Deus e fazia menções à mudança climática.

O tiroteio aconteceu na hora do rush, em que a maioria dos cidadãos volta do trabalhar e a plataforma da estação estava lotada.

"Era uma pessoa responsável e dedicada a seu trabalho e mostra disso foi que morreu em cumprimento de seu dever demonstrando sua coragem", disse à Agência Efe David Miranda, um dos três irmãos do policial morto.

O velório foi liderado pelo prefeito da Cidade do México, Marcelo Ebrard, e teve a presença de 500 policiais, além de parentes do agente e altos comandantes.

Após o ataque, as autoridades anunciaram que a partir de domingo será reforçadas a segurança nas 175 estações com que conta o sistema, o maior da América Latina.

Tiroteio

AP
Homem é levado por policiais após ataque

Homem é levado por policiais após ataque

Dentro das medidas se encontram redobrar a vigilância com um grupo de 1.600 policiais, que se juntarão aos 1.100 que já fazem a segurança das estações, utilizada a cada dia por quatro milhões de pessoas.

Adicionalmente, as autoridades farão revistas aleatórias com detector de metais aos passageiros para evitar a introdução de armas brancas ou de fogo, explicou à Efe o responsável pelo sistema de metrô, Francisco Bojórquez.

"Será uma medida que não demorará mais de 40 segundos em revistas de passageiros, mas que reforçará a segurança", explicou o funcionário.

Bojórquez indicou que no próximo ano o metrô investirá cerca de US$ 60 milhões para instalar mais câmeras de segurança e sistemas fixos de detecção de metais em algumas estações.

A Secretaria de Saúde da capital mexicana informou que seis das oito pessoas que ficaram feridas no tiroteio já receberam alta.

Entre os feridos, três foram baleados e só um se encontra em estado grave de saúde.

No período entre janeiro e setembro, os homicídios aumentaram na Cidade do México 4,9% em relação ao mesmo período de 2008, segundo dados oficiais.

Leia mais sobre: México

    Leia tudo sobre: méxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG