Após tentativa de atentado, republicano sugere ligação com caso Fort Hood

O nigeriano que na sexta-feira tentou provocar uma explosão em um avião entre Amsterdã e Detroit pode ter mantido contato com um imã americano-iemenita, cujo nome é citado no caso da matança de Fort Hood (Texas), afirmou um representante republicano.

AFP |

O republicano Pete Hoekstra, membro da comissão de inteligência da Câmara de Representantes, mencionou informações da imprensa de que o suspeito - o nigeriano Abdul Faruk Abdumutallab, de 23 anos - teria viajado ao Iêmen recentemente.

"Pode ter mantido contato com o imã americano (Anwar) al-Aulaqi. A questão que deve ser apresentada é seguinte: Este imã no Iêmen foi suficientemente influente para convencer alguém de atacar novamente os Estados Unidos?", disse Hoekstra à AFP.

Al-Aulaqi aparece citado no caso do psiquiatra militar Nidal Hasan, que em 5 de novembro abriu fogo na base de Fort Hood e matou 13 pessoas. Hasan trocou durante mais de um ano e-mails com o imã, nos quais perguntava se tinha o direito de matar militares americanos e israelenses.

O jovem nigeriano, que afirmou ter vínculos com a Al-Qaeda, tentou detonar um explosivo a bordo de um avião americano que voava entre Amsterdã e Detroit, antes de ser contido pelos passageiros e a tripulação.

emp/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG