Jovem que hoje tem 15 anos foi arrastada pela água em 2004, quando tragédia deixou cerca de 230 mil mortos na Ásia

Uma menina que desapareceu no tsunami que atingiu a Ásia em 2004 reencontrou seus pais nesta sexta-feira. A jovem Wati, que hoje tem 15 anos, foi arrastada pela água em Ujong Baroh, na província de Aceh, na Indonésia.

Leia também: Tsunami da Ásia ajudou a acabar com conflito separatista na Indonésia

Wati (segunda, à direita) posa para foto com o pai, Yusuf, a mãe, Yusniar, e o irmão, Aris, em Meulaboh, na Indonésia
AP
Wati (segunda, à direita) posa para foto com o pai, Yusuf, a mãe, Yusniar, e o irmão, Aris, em Meulaboh, na Indonésia

Ela contou que, pouco depois do tsunami, foi adotada por uma mulher que a obrigava a pedir esmolas e a agredia verbal e fisicamente. Um dia, quando deixou de levar dinheiro para casa, a mulher a expulsou e disse que seus pais moravam em Meulaboh.

Wati, que tinha oito anos na época da tragédia, foi até a cidade de ônibus e começou a perguntar nas ruas pelo avô, Ibrahim. Um motorista de táxi a levou até a casa de um homem com esse nome, que então avisou seus pais.

“Quando vi minha mãe, sabia que era ela”, disse Wati, que foi reconhecida pelos pais por causa de uma pequena mancha no quadril e uma cicatriz na sobrancelha. Ela foi informada de que seu nome original era Meri Yuranda.

“Agradeço a Deus por ter atendido minhas preces”, contou a mãe, Yusniar, 35 anos. “Procurei por toda parte durante anos e tinha perdido as esperanças.”

O tsunami de 26 de dezembro de 2004 foi causado por um terremoto de 9,1 graus e causou cerca de 230 mil mortes. Aceh foi a zona mais afetada.

Com AP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.