Após segundo ouro no vôlei, Zé Roberto diz ser privilegiado

O técnico da seleção brasileira de vôlei feminino, José Roberto Guimarães, conseguiu com o ouro em Pequim o que seu antecessor, Bernardinho, só poderá alcançar se algum dia voltar a dirigir a equipe: ser campeão olímpico com os times masculino e feminino do Brasil. Zé Roberto era o treinador da seleção masculina em 1992, quando o vôlei brasileiro conquistou o primeiro ouro, em Barcelona.

BBC Brasil |

Bernardinho, atual técnico da equipe masculina, foi campeão olímpico com os homens em Atenas-2004, mas, no comando da equipe feminina, chegou apenas a duas medalhas de bronze - em Atlanta-1996 e Sydney-2000.

"Eu sou um privilegiado porque Deus me deu essa possibilidade de estar voltando em uma outra Olimpíada, depois do acontecido em Atenas, e a gente ter ganhado", disse Zé Roberto neste sábado, após a conquista em Pequim.

O "acontecido em Atenas" foi a derrota da seleção feminina, na semifinal, para a Rússia, depois de a equipe ter perdido diversas chances de vencer a partida.

"Essa coisa de ter sido campeão no masculino e no feminino era o meu desafio, depois do sofrimento de Atenas, de tudo aquilo que a gente passou", acrescentou o treinador.

Amarelo ouro
Depois da derrota em Atenas, Zé Roberto permaneceu no comando da seleção feminina, mas sofreu muitas críticas - assim como algumas das principais jogadoras que estavam na equipe em 2004 e, agora, foram campeãs em Pequim.

"Eu queria ganhar mais por elas do que por mim", afirmou o bicampeão olímpico. "A gente passou por um período muito complicado, muito difícil durante esse quatro anos, apesar de ser uma seleção vitoriosa."
Nas contas de Zé Roberto, a equipe feminina dirigida por ele venceu mais de 90% das partidas que disputou. Mas, até a conquista deste sábado, a seleção era assombrada por três derrotas: na Olimpíada de Atenas, em 2004, na final do Mundial de Osaka, em 2006, e na decisão dos Jogos Pan-Americanos, no ano passado.

O treinador admite que parte das críticas que a seleção recebeu foram "justas", mas reagiu com ironia às insinuações de que a equipe havia "amarelado" nas decisões que perdeu.

"A cor da nossa medalha é amarelo, mas é amarelo ouro, isso é que é importante", brincou Zé Roberto.

Quatro anos atrás, depois do jogo contra a Rússia, Zé Roberto manifestava decepção por a final olímpica não ter chegado para o Brasil por um ponto.

Na ocasião, o treinador disse que "um dia a bola cairia". Em Pequim, tomado pela empolgação da medalha de ouro, Zé Roberto sentenciou: "Ela caiu, caiu aqui."
"A emoção foi enorme", afirmou o técnico, ao descrever o momento da vitória. "A única coisa que eu fiz foi ajoelhar e agradecer, que era a única coisa que eu precisava fazer."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG