Após saída dos EUA, peregrinação xiita é 1º grande desafio do Iraque

Bagdá, 18 jul (EFE).- Mais de seis milhões de xiitas participaram entre ontem e hoje da peregrinação anual ao santuário do imame Musa al-Kadhim, cuja segurança ficou, pela primeira vez desde 2003, a cargo do Exército e da Polícia do Iraque.

EFE |

O imame é venerado em Kazimiya, um bairro ao norte de Bagdá que já foi palco de vários atentados sangrentos por ocasião dessa peregrinação xiita.

Este ano, ao contrário de outras ocasiões, a celebração religiosa terminou quase sem atos violentos.

Ontem, uma pessoa morreu e outras 40 ficaram feridas na explosão de seis bombas na passagem dos peregrinos que se dirigiam ao santuário, em diversas áreas de Bagdá.

Esse número de vítimas contrasta com o dos últimos anos. No ano passado, por exemplo, durante a mesma peregrinação, 26 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em atentados.

Fontes dos serviços de segurança disseram à Agência Efe que este ano até metade da manhã de hoje mais de seis milhões tinham ido ao santuário de Kadhim, um dos 12 imames xiitas.

Este ano, a peregrinação ao santuário do imame xiita tinha se transformado em um desafio porque era a primeira vez desde 2003 que a segurança ficava a cargo de forças iraquianas, após a retirada das tropas americanas das cidades no final de junho.

A retirada parcial foi estipulada nos convênios de segurança assinados por EUA e Iraque em 13 de dezembro passado, que programam a saída total das tropas americanas para finais de 2011. EFE ah/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG