Uma charge política publicada nesta quarta-feira pelo jornal The New York Post, retratando o autor do plano de recuperação econômica dos Estados Unidos como um macaco, foi denunciada como ofensiva por Al Sharpton, ativista dos direitos civis dos negros.

O desenho, que saiu na página 12 do diário, mostra um policial matando um macaco, numa referência a um episódio ocorrido na última segunda-feira em Connecticut, quando um oficial matou a tiros um macaco que atacou e feriu gravemente uma mulher.

Na charge, outro policial comenta: "Eles vão precisar encontrar outro para redigir o próximo projeto de lei de estímulo (econômico)".

AP
Charge foi publicada nesta quarta-feira no

Charge foi publicada nesta quarta-feira no "New York Post"


Sharpton disse que o desenho é "na melhor das hipóteses, perturbador, dado o histórico de ataques racistas comparando afro-americanos a macacos".

"Considerando que o plano de estímulo foi a primeira vitória legislativa do presidente Barack Obama e se tornou sinônimo de seu nome, não é preciso muito para se perguntar se eles estão querendo dizer que um macaco redigiu o último plano", estimou, em um comunicado.

Col Allan, editor chefe do "New York Post", defendeu a charge, afirmando se tratar de "uma paródia clara de um fato noticioso atual, para ironizar o assassinato a tiros de um chimpanzé violento em Connecticut. E brinca de forma ampla com os esforços de Washington para recuperar a economia".

"De novo, Al Sharpton se revela como nada além de um oportunista da publicidade", acrescentou Allan, em uma nota divulgada no site do jornal "Huffington Post", o primeiro a chamar atenção para a charge polêmica.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.