Após negociações "úteis", Irã e potências marcam novo encontro

Reunião entre membros do Conselho de Segurança da ONU e o Irã foi "construtiva", mas sem grande avanços

iG São Paulo |

O Irã e potências mundiais discutiram neste sábado o polêmico programa nuclear iraniano pela primeira vez em mais de um ano e, no que os diplomatas do Ocidente chamaram de um construtivo avanço dadas as baixas expectativas para o encontro, as partes concordaram em se reunir novamente no próximo mês.

Catherine Ashton, chefe de política externa da União Europeia que comandou as negociações envolvendo seis países, incluindo Estados Unidos e Rússia, afirmou em coletiva de imprensa em Istambul que eles se encontrarão com a delegação iraniana novamente em Bagdá, no Iraque, no dia 23 de maio.

Saeed Jalili, negociador chefe do Irã, disse que houve diferenças de opinião, mas que alguns pontos importantes foram acertados e que as próximas conversas se concentrarão em combinar medidas para construir a confiança mútua. O Irã foi alvo de novas sanções econômicas do Ocidente neste ano e a próxima reunião deve discutir o fim das sanções.

Representantes do Ocidente tinham dito previamente que marcar um novo encontro tornaria o dia bem-sucedido. As conversas podem remover as animosidades de uma crise que já fez Israel alertar sobre um possível ataque contra instalações do Irã e causou o aumento de temores sobre uma grande guerra em um Oriente Médio já instável.

Após um dia no qual diplomatas falaram de um tom mais engajado por parte das autoridades iranianas, se comparado aos 15 meses de retórica dura de ambos os lados, Ashton pediu que as conversas sejam úteis e construtivas. "Queremos agora partir para um processo sustentável de diálogo", afirmou.

As seis potências estrangeiras presentes eram os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, Rússia, China, EUA, França e Grã-Bretanha, além da Alemanha.

AP
O negociador nuclear do Irã, Saeed Jalili, é visto em encontro com os membros do Conselho de Segurança da ONU

Clima diferente

Um diplomata não iraniano disse que o clima foi "completamente diferente" dos encontros passados, enquanto delegados do Ocidente buscavam sinais de que o Irã está pronto para se empenhar após mais de um ano de ameaças em defesa de seu direito de buscar energia nuclear e negar que queira construir uma bomba atômica.

Ashton disse a repórteres em Istambul que as potências na negociação querem que o Irã cumpra obrigações internacionais - o país é signatário do tratado que evita a disseminação de armas nucleares - e seja recíproco nas negociações.

As negociações não tinham a expectativa de produzir um grande avanço, mas os diplomatas acreditam que um comprometimento sério do Irã seria o suficiente para marcar outra reunião para o próximo mês e começar a discutir assuntos que estão no coração de toda essa disputa.

Durante o encontro, o vice-ministro das Relações Exteriores e chefe da missão da Rússia, Sergei Ryabkov, disse à agência de notícias Interfax: "A atmosfera foi construtiva, a conversa é eficiente. No momento, as coisas estão indo bem".

O Ocidente acusa o Irã de tentar desenvolver capacidade de construir armas nucleares. Israel, que acredita-se ser o único país do Oriente Médio com arsenal atômico, vê os planos do Irã como uma ameaça à sua existência e ameaçou realizar ação armada.

O Irã alega que seu programa nuclear é pacífico e ameaçou retaliar qualquer ataque fechando uma importante rota do petróleo.

EUA e Israel não descartaram ação militar para destruir as instalações nucleares do Irã.

O Irã tinha dito que proporia "novas iniciativas" em Istambul, embora não estivesse claro se o país está preparado para discutir paralisações em seu programa nuclear.

* Com informações da Reuters

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG