Senadores acertaram a criação de uma comissão para analisar os direitos dos imigrantes

México - O Senado mexicano decidiu criar uma comissão para revisar as leis migratórias e trabalhar em uma estratégia que "combata a indolência, a corrupção e a cumplicidade das pessoas que têm como responsabilidade coordenar a migração".

Durante o primeiro dia de sessões no segundo período da 61ª legislatura, senadores de diversas correntes acertaram a criação de uma comissão para analisar os direitos humanos e trabalhistas dos imigrantes, principalmente latino-americanos, que atravessam a fronteira sul do México.

Após condenar o massacre de 72 imigrantes ilegais no último dia 24, no município de San Fernando, estado de Tamaulipas, os senadores decidiram pedir um relatório às autoridades mexicanas sobre a política migratória do país. O acordo, promovido pelo senador Adolfo Toledo, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), considera que é necessário prevenir outra tragédia como a de Tamaulipas. O fato que aconteceu pode se repetir "muitas vezes se o Governo federal seguir ignorando os relatórios de organismos mundiais e organizações da sociedade civil sobre esta problemática", disse o legislador.

O documento propõe a convocação do titular do Instituto Nacional de Migração e dos secretários de Governo e Segurança Pública para que informem sobre as estratégias perante o cada vez mais comum sequestro de imigrantes. Nesta quinta-feira o Governo mexicano assegurou que continua o processo de identificação dos corpos dos 72 imigrantes ilegais, e garantiu que o massacre "não ficará impune".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.