BÍSHKEK (Reuters) - O presidente deposto do Quirguistão, Kurmanbek Bakiyev, renunciou formalmente, em uma carta escrita à mão e enviada por fax aos novos líderes da ex-república soviética, disseram autoridades na sexta-feira, afastando os temores de uma guerra civil. Bakiyev fugiu na quinta-feira para o vizinho Cazaquistão. Ele havia sido deposto por uma rebelião popular no dia 7, quando se refugiara em Osh (sul do Quirguistão).

A crise acabou revelando as rivalidades exercidas na região pela Rússia e pelos EUA, que alugam uma base quirguiz para prestar apoio à guerra no Afeganistão.

A presidente interina, Roza Otunbayeva, afirmou que na carta o seu antecessor dizia: "Apresento minha renúncia nestes dias trágicos, pois entendo a plena escala da minha responsabilidade pelo futuro do povo quirguiz."

Pela TV, Otunbayeva disse que Bakiyev deve ser julgado pela morte de 84 manifestantes durante a rebelião deste mês. "Ele não pode fugir do julgamento. Ele não pode se esconder dele em nenhum país do mundo. A retaliação é inevitável. A justiça irá prevalecer," disse ela.

Bakiyev declarou anteriormente que não ordenou que as forças do governo disparassem contra os manifestantes.

(Por Maria Golovnina)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.