Mikolaj Przybyl atira contra si mesmo em intervalo de coletiva na qual defendeu investigação sobre acidente aéreo que matou líder

O procurador militar Mikolaj Przybyl concede entrevista pouco antes de dar um tiro na cabeça em Poznan, na Polônia
AFP
O procurador militar Mikolaj Przybyl concede entrevista pouco antes de dar um tiro na cabeça em Poznan, na Polônia
Um procurador militar da Polônia deu um tiro na cabeça nesta segunda-feira, pouco depois de uma entrevista em seu escritório em Poznan, oeste do país, na qual defendeu seu trabalho.

Mikolaj Przybyl, chefe do departamento que investiga acusações de crime organizado dentro do Exército, estava lendo um comunicado no qual defendia uma investigação militar sobre vazamentos para a imprensa de informações sobre o acidente aéreo de 2010 que matou o então presidente da Polônia, Lech Kaczynski.

Leia também: Acidente aéreo mata presidente da Polônia e mais 95

Em determinado momento, ele pediu que os repórteres saíssem para que pudesse fazer um "intervalo". Ao ouvir um barulho alto, os jornalistas encontraram o procurador deitado no chão com uma poça de sangue ao redor da cabeça. Pryzbil foi levado ao hospital e seu estado de saúde é estável. Ele não corre risco de morrer.

Durante a coletiva, Pyzbil também rejeitou os planos do procurador-geral, Andrzej Seremet, de colocar os procuradores militares sob autoridade civil. Ele afirmou que os procuradores militares têm se mostrado “competentes” em várias investigações sobre crime organizado dentro do Exército.

A maior parte dos casos envolve suspeitas de corrupção na compra de equipamentos para tropas polonesas no Afeganistão e no Iraque.

O presidente polonês, Bronislaw Komorowski, e o ministro da Justiça, Jaroslaw Gowin, disseram estar monitorando a situação de Pryzbyl de perto. Alguns parlamentares pediram uma investigação parlamentar sobre o caso.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.