Mensagens histéricas e chorosas em apoio ao primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, após a agressão sofrida no ano passado são o tema de um novo livro lançado no país em meio à campanha para as eleições regionais.

AFP
Berlusconi foi agredido em dezembro
Berlusconi foi agredido em dezembro
"O Amor Sempre Vence a Inveja e o Ódio", título da obra lançada pela editora Mondadori, pertencente a Berlusconi, compila algumas das 50 mil mensagens de apoio que o premiê recebeu depois de ser atingido no rosto por uma réplica da catedral de Roma, lançada por um cidadão mentalmente perturbado. No episódio, ocorrido em dezembro, Berlusconi quebrou o nariz e alguns dentes.

As mensagens no livro chegaram de toda a Itália e até do Vietnã. O tom varia entre o desafio ("Mostre a eles que você é indestrutível!"), o sentimentalismo ("Nós imploramos, não nos abandone e clone-se se puder") e a quase histeria ("Ao vê-lo coberto de sangue, minha mulher agarrou os cabelos e soluçava enquanto gritava: 'Madonna mia, salve o Silvio!'").

O autor de uma mensagem se diz "à beira de um precipício" e afirma que só Berlusconi "pode nos salvar e garantir um futuro aos nossos netos." Já a "Vovó Norina" apela à falecida mãe do premiê: "Sua 'mamma' no céu vai lhe proteger e lhe dará força e serenidade para continuar seu trabalho."

Em outras cartas, os signatários afirmam: "Estou machucado como se o meu pai tivesse sido atingido"; "Sem você, eu iria embora da Itália."

A popularidade do político, envolvido em escândalos sexuais e de corrupção, disparou depois do ataque, mas voltou a cair nos últimos meses.

O jornal esquerdista La Repubblica disse que o lançamento do livro é parte da campanha eleitoral de Berlusconi em prol de seus aliados na votação de 28 e 29 de março. Ironizando o premiê e comparando-o ao ditador romeno Nicolae Ceausescu, o jornal disse que "O Amor Sempre Vence..." é "o livrinho branco de Silvio Ceausescu".

"É preciso ser dito com força que este livro no seu âmago se torna um panfleto eleitoral, pura propaganda em um papel sofisticado", escreveu o articulista Francesco Merlo.

No prefácio, Berlusconi escreveu que a solidariedade recebida compensou todas as "calúnias, ofensas e falsas acusações" dos últimos anos.

"Pense que nos primeiros dois dias depois do ataque recebi mais de 50 mil mensagens pela internet, centenas de fax e buquês de flores. Todos os líderes de países amigos me telefonaram. E houve uma contínua peregrinação, primeiro no hospital, depois em Arcore (onde vive sua família)."

O livro contém também um caderno central com estatísticas sobre vários projetos do governo e dois discursos do premiê, que dedica à obra "à Itália que sabe amar". Na capa, Berlusconi, de 73 anos, aparece com um sorriso jovial.

Leia mais sobre Berlusconi

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.