Após 54 anos, homem diz ser menino desaparecido nos EUA

Um homem do Estado americano do Michigan alega ser um menino desaparecido em 1955 no Estado de Nova York, em um caso que mobilizou a polícia, a população e a imprensa na época.

BBC Brasil |

Steven Damman tinha apenas 2 anos quando sua mãe, Marilyn, o deixou, junto com sua irmã mais nova, do lado de fora de uma padaria em Long Island enquanto ela fazia compras. Ao sair, as duas crianças tinham desaparecido.

A bebê foi encontrada a alguns quarteirões de distância. Mas Steven nunca mais foi visto, apesar de uma "caçada" que contou com a ajuda de milhares de voluntários, segundo um jornal da época.

Agora, o homem está sendo submetido a testes de DNA para comprovar se ele é mesmo o menino desaparecido.

Investigação

Até o momento, o FBI, que está conduzindo a investigação, não quer revelar a identidade do homem nem os motivos pelos quais ele acredita ser Steven Dammen.

Jerry Damman, pai de Steven, disse ao jornal britânico The Times que foi informado de que o próprio homem teria feito uma investigação sobre suas origens e a de sua família adotiva, que também teria vivido em Long Island na época, e cruzou as informações com notícias sobre crianças desaparecidas.

Damman também contou à rede de televisão americana CNN que nunca perdeu as esperanças de encontrar o filho.

Há alguns anos, a irmã de Steven forneceu amostras de DNA para uma investigação sobre a morte de um menino encontrado dentro de uma caixa de papelão na Filadélfia, em 1957. Mas a conclusão foi de que não se tratava de Steven.

Leia mais sobre crianças desaparecidas

    Leia tudo sobre: crianças

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG