Ao menos seis pessoas morrem após colisão de trens em Washington

WASHINGTON - Ao menos seis pessoas morreram e 70 ficaram feridas após a colisão de dois trens do metrô de Washington durante o horário de pico da tarde nesta segunda-feira, disseram autoridades. O prefeito de Washington, Adrian Fenty, disse que o acidente é o mais letal da história do sistema metroviário da cidade.

Redação com agências internacionais |

AP
Bombeiros trabalham no resgate, após colisão de trens em Washington

Bombeiros trabalham no resgate de vítimas, após colisão de trens

O número de feridos é "de pelo menos 70", confirmou, por sua vez, o chefe do Departamento de Bombeiros de Washington, Dennis Rubin. Autoridades também informaram que um grande número de pessoas teve ferimentos leves e conseguiu sair do trem andando.

O acidente

O acidente aconteceu na área de superfície da linha vermelha, entre as estações de Fort Totten e Takoma Station, durante a hora do rush, por volta das 18h (horário de Brasília).

De acordo com autoridades, um dos trens estava parado quando o outro, que vinha na mesma direção, colidiu com sua traseira. Uma das vítimas fatais do acidente foi a motorista que operava o segundo trem.

Após a colisão, registrada sob uma ponte entre as estações de Takoma Park e Fort Toten, no estado de Maryland, vários vagões ficaram um em cima dos outros.

Testemunhas

"Assisti à cena da ponte sobre a New Hampshire Avenue. Aparentemente, há muitas pessoas presas nas ferragens e um grande números de feridos", disse um jornalista da rede CNN, acrescentando que as composições estavam em grande velocidade no momento do acidente.

As redes de TV mostraram socorristas trabalhando no local para retirar pessoas presas nas ferragens, enquanto passageiros, alguns feridos, desciam dos vagões menos atingidos.

Dezenas de passageiros, chocados, aguardavam à beira das linhas. Um serviço especial de ônibus foi instalado para fazer a ligação entre as duas estações fechadas devido ao acidente.

"Estava no trem que bateu", disse à AFP Abra Jeffers. "Pareceu uma explosão. Pensei que fossem bombas, como no metrô de Londres. Havia fumaça e poeira para todos os lados".

"Os adolescentes gritavam", contou Abra, em cujo vagão as pessoas ficaram apenas "contundidas", mas a evacuação dos passageiros demorou mais de 45 minutos.

"Era meu segundo dia em (Washington) DC. Voltava do meu primeiro dia de trabalho", explicou a jovem.

Jodie Wickett, outra passageira, disse que "estava sentada, enviando uma mensagem por telefone (...) quando voei do meu lugar". "Tentei ajudar e havia destroços e gente presa às ferragens (...) Tentamos tirá-los, ajudá-los afastando as ferragens (...) As vezes conseguíamos, as vezes não, até chegarem as equipes de socorro".

"Estamos utilizando equipamento pesado para abrir os vagões e tirar quem tiver ficado preso", afirmou.

Fontes da Junta Nacional de Segurança no Transporte indicaram que as causas do acidente estão sendo investigadas. No lugar também há agentes do FBI (Polícia federal americana).

O sistema metroviário de Washington é amplamente usado para o transporte na capital norte-americana. Os serviços de ônibus e metrô servem uma população de 3,5 milhões de pessoas.

(Com informações da AFP e Reuters)

Leia mais sobre acidentes

    Leia tudo sobre: acidentetrenswashington

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG